O ouro é um metal precioso, de beleza singular e que fascina há séculos. Seja em amarelo, seu tom natural, branco ou rosé, ele está sempre presente no universo da moda em forma de anéis, colares, brincos, pulseiras e outros acessórios.

No entanto, é difícil encontrar em uma joalheria, peças feitas com ouro puro, já que nesse estado, ele é muito frágil e mole, comprometendo a durabilidade das joias e dificultando o trabalho do joalheiro. Sendo assim, o ouro puro é misturado a pequenas quantidades de outros metais, como o cobre, zinco, níquel, prata e paládio, dando a “liga” necessária para que o material seja mais durável e resistente.

E o que significa o termo “quilate” que tanto se ouve falar? Ele não é nada mais do que a medida de pureza do ouro. Simbolizado pela letra K, ele é dividido em 24 partes, sendo 24 quilates ou 24K, a peça feita em ouro puro, no entanto, ele não apresenta consistência para fabricar joias.

Uma peça de 18 quilates é composta por 18 partes de ouro puro e 6 partes de uma liga metálica. Ou seja, uma peça de 18K possui 75% de ouro e 25% de ligas metálicas. Também pode ser chamado de ouro 750 (750 partes de ouro em 1000 partes). Este é o tipo mais aceito no mercado e o mais utilizado pelas joalherias.

Já uma peça de 14 quilates é formada por 14 partes de ouro puro e 10 partes de ligas metálicas, o que é igual a dizer que a peça tem 58,3% de ouro puro e 41,7% de ligas metálicas. No Brasil, uma peça que tenha composição de ouro acima de 14k já é considerada de ouro.

A seguir vale conhecer os quilates mais encontrados no mercado:

24 quilates: ouro puro, praticamente impossível de ser encontrado no mercado, já que seu aspecto é frágil e mole

22 quilates: 91,6% de ouro na composição

20 quilates: 83,3% de ouro na composição

19.2 quilates: 80,0% de ouro na composição

18 quilates: 75% de ouro na composição

16 quilates: 66,6% de ouro na composição

14 quilates: 58,3% de ouro na composição

12 quilates: 50% de ouro na composição

10 quilates: 41,6% de ouro na composição

1 quilate: 4,6% de ouro na composição


Tipos de ouro por coloração

Quando as pessoas pensam em ouro, a primeira imagem que vem à mente são barras de ouro amarelo. É a cor de ouro mais usada  em peças tradicionais como nas alianças de casamento. O ouro amarelo é composto por cobre e prata.

Mas existem outros tipos também. Como por exemplo, o rosê e o branco. O ouro rosê  é composto por ouro, prata e cobre. A diferença dele para o ouro amarelo é o especial tom rosê, que traz ainda mais beleza para as alianças, sendo o cobre responsável pela mudança da cor. A quantidade de ouro puro (24k) utilizada na produção do ouro rosê é a mesma do ouro amarelo, o que faz com que ele seja tão valorizado quanto os outros tipos de ouro. O rosê também remete ao romantismo e elegância às peças.

O ouro branco  é composto por ouro, prata, níquel e paládio (metal que tem cor esbranquiçada). A combinação desses metais gera uma elegante cor acinzentada para as peças. O banho de ródio, metal parecido com o paládio, deixa a aliança ainda mais bela e brilhante. É uma cor sofisticada, sendo utilizada por muitas celebridades e membros da realeza.

Muitas destas peças acabam não sendo mais utilizadas pelas pessoas e ficam ‘encostadas’. Uma boa alternativa segundo especialistas é vender joias em ouro, platina e prata. “Muitas pessoas possuem dezenas de joias e relógios e acabam ficando encostadas em casa por puro medo de usar ou por gosto pessoal mesmo e isso pode gerar um dinheiro extra”, comenta Cristiano Arceiro, sócio-proprietário da Cap Joias.

Mas como vender? Segundo Cristiano,  o primeiro passo para a venda é procurar um local seguro, com avaliadores treinados, que trabalham com um preço justo de mercado, que possui tradição e que tem a satisfação do cliente como foco. 

fonte: https://www.terra.com.br/noticias/dino/os-tipos-de-ouro-e-suas-utilizacoes-em-joias,91de970c5506739d50b63ed632be9a36aqhuxv61.html